EDITAL AUDITOR FISCAL – O que Estudar para próximo Concurso

Rate this post

Tendências da ESAF para o próximo edital de Auditor Fiscal da Receita Federal

Para ajudar na sua preparação para o concurso de Auditor Fiscal da Receita Federal, segue recente análise da Estratégia Concursos de tendências da ESAF para o próximo concurso.

Este artigo é uma transcrição livre das aulas especiais e traz um resumo com informações importantes para quem vai prestar o concorrido concurso para Auditor Fiscal da Receita Federal.

Além do texto com os principais temas expostos pelos professores, você poderá acompanhar também, o vídeo com os trechos mais relevantes da aula.

Professores Estratégia Concursos, desta aula.

Edital Auditor Fiscal da ReceitaRicardo Vale é professor de Comércio Internacional, Direito Internacional Público, Direito Constitucional e Legislação Aduaneira.

3º lugar no concurso de Analista de Comércio Exterior (2008), Auditor Fiscal desde 2009.

 

Edital Auditor Fiscal da ReceitaArthur Lima é professor de matemática, matemática financeira, raciocínio lógico e estatística, conduziu mais de 200 cursos preparatórios para concursos.

Auditor Fiscal da Receita Federal, foi também aprovado para Analista-Tributário (RFB).

 

Edital Auditor Fiscal da ReceitaThomas Jorgensen é professor e Coaching, Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (2012 – 1o. LUGAR).

Também aprovado para Analista-Tributário da Receita Federal (2009 ).

 

Edital Auditor Fiscal da ReceitaMário Machado é Coaching da Estratégia Concursos. Auditor Fiscal da Receita Federal (2009) e instrutor da Escola de Administração Fazendária (ESAF).

Também aprovado nos concursos:

  • Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil (2009);
  • Analista do Banco Central (2009);
  • Técnico Judiciário do TRE/RJ (2007);
  • Agente Executivo da SUSEP (2007);
  • Técnico Administrativo do MPU (2007);
  • Assistente-Técnico Administrativo do MF (2009);
  • Colégio Naval (2001), entre outros.

Edital Auditor Fiscal da Receita

Esquenta Receita Federal: 500 Dicas Sobre a Prova do Concurso Receita Federal

Enquanto o edital ainda não é publicado aproveite para estudar com todas as Dicas que Profissionais Qualificados podem dar sobre as Provas do concurso da Receita Federal.

Para conhecer um pouco da Receita Federal (Arthur Lima)

Para você que quer se tornar um Auditor Fiscal e ainda não está familiarizado com o que vai ser apresentado, segue um breve resumo da importância da Receita Federal.

Algumas áreas mais conhecidas da Receita Federal:

ADUANA.

São mais de 3,4 milhões de declarações de importações / exportações processadas anualmente, que representam mais de US$600 bilhões.

Mais de 20 milhões de passageiros (voôs e fronteiras terrestres) por ano.

FISCALIZAÇÃO.

Mais de 190 bilhões em multas anuais lavradas pelos auditores da Receita Federal, além de mais de 24 milhões de declarações de ajuste do imposto de renda anual.

ARRECADAÇÃO.

Arrecação propriamente dita dos recursos federais em torno de 1,2 trihões de reais por ano.

INVESTIGAÇÃO.

Área de pesquisa e investigação muito em evidência em virtude da Operação Lava jato.

Edital Auditor Fiscal da Receita

 

Normalmente quem é formado em Direito gosta de atuar na área de julgamento de processos, por exemplo, de multas, apreensão de mercadorias etc.

Muitos dos aprovados na Receita gostariam de trabalhar na área de fiscalização que é a mais conhecida e começam, no entanto, trabalhando em outras áreas (Mário Machado).

Você pode iniciar pela aduana, depois arrecadação por algum tempo, fiscalização, investigação para quem tem um perfil mais “policial” e assim por diante.

“Quem entra na Receita pode “trocar” de emprego a cada 3 ou 4 anos e vai se aposentar num outro emprego diferente”!  (brincadeira, hein!)

Experiência do Thomas Jorgensen:

  • Passou inicialmente como analista da receita.
  • Atuou por 3 anos em Uruguaiana.
  • Depois passou como Auditor Fiscal sendo alocado em Guarulhos, na fiscalização, “área bem bacana para se estudar” segundo o Thomas.
  • Posteriormente foi para a área correcional.

Qual a Sua Estratégia de Estudo para o Concurso Receita Federal?

Estamos AO VIVO - Aula Gratuita Para Concurso Público

São Quase 80 AULAS GRATUITAS com conteúdos para Você que Vai Prestar Concurso Público.

Acesse, AGORA para conferir o CALENDÁRIO e RESERVAR a SUA VAGA!

Vai ter concurso para a Receita Federal em 2017, 2018?

Essa é a pergunta mais recorrente e não há resposta porque ninguém sabe!

O que dá para fazer é analisar pistas e se preparar para enfrentar esse concurso super concorrido.

Historicamente, temos:

Edital Auditor Fiscal da Receita

 

400 Vagas – Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA-2017)

O pedido encaminhado pelo executivo ao congresso PLDO-2017 – PLOA-2017, solicita 400 vagas para o Ministério da Fazenda, não sabemos quanto para auditor, analista de demais cargos do ministério.

A tendência é de um número menor, no entanto na prática temos um número maior de nomeações do que se publica no edital, a exemplo de 2014:

O concurso de 2014 nomeou quase o dobro do número de vagas publicadas originalmente no edital.

O mesmo aconteceu com o concurso para analista de 2012, que posteriormente chamou mais 750 analistas (Thomas).

Pessoalmente Ricardo Vale acredita que o concurso saia para 2018 com 100 a 150 vagas.

E também acredita que em médio a longo prazo a Receita adote uma previsão de vagas anuais.

Assim como acontece com o Instituto Rio Branco que possuem um número previsto de vagas anuais e todo ano tem concurso.

Outros fatos relevantes:

Desde 2009 a Receita tem chamado mais candidatos do que o número do edital.

No concurso de 2012 só 252 candidatos foram aprovados e por essa razão não houve mais nomeados.

Você está preparado para o concurso da Receita Federal?

Reflexão do Mário Machado:

No PLOA-2017 foi solicitado 400 para 2017, pessoalmente ele não acredita que sai o edital para 2017 e pergunta:

  • Se o edital sair daqui a 6 meses, Como está a sua preparação?
  • E em 10 meses, você ia ter condições de ser aprovado?

Então, temos que usar a expectativa de que o concurso não saia em 2017 para realizar uma preparação de qualidade para enfrentar o concurso!

O foco tem que ser na preparação para a Receita Federal e isso requer preparação de longo prazo.

O candidato tem que cuidar da sua preparação e temas que dizem respeito ao candidato, como:

  • Princípio da casa dos pombos.
  • Sistema de solução de controvérsia da OMC

Mário Machado também acredita que o candidato deve ter como meta estar preparado para provas no 1o. Trimestre de 2018.

Ricardo Vale dá um exemplo, “em 2009 eu dava aulas presenciais e perguntei na sala:

Quem começou a estudar depois que saiu o edital? Resposta:

  • 70% dos alunos.

Esses 70%, estatisticamente, estão entre os candidatos não aprovados …

Então a mensagem é:

Quer ter chances de aprovação em concurso da Receita Federal, antecipe a sua preparação, não dá para achar que vai passar ao estudar somente depois do edital.

Receita Federal requer preparação de longo prazo.

É fato que muitos dos que antecipam a preparação podem até desistir ao ler o edital, pelos mais diversos motivos.

Só não dá para estudar somente pós-edital.

Você precisa manter o foco e a cabeça fria diante dos momentos de motivação baixa, daí a importância de criar um projeto de preparação para o concurso da Receita Federal.

Vídeo da Aula Tendências da ESAF para o concurso de Auditor Fiscal da Receita Federal

Continue no texto para saber quais disciplinas podem apresentar mudanças no próximo edital.

Salários – Auditor Fiscal.

Análise do projeto de lei PL 5.864/16 sobre os novos salários para auditor fiscal.

Auditor Fiscal Salário

Vamos analisar o cenário para 2018:

Salário inicial R$ 20.123,53 + BÔNUS: que é uma renda variável baseado no volume arrecadado em multas e dos leilões de mercadorias apreendidas.

Bônus para os cargos de auditor e analista.

A previsão é que esse bônus fiquem entre 3 e 5 mil reais por mês. Só expectativa!

Dica de produtividade de coaching do Mário Machado:

Se você ficar agora, gastando tempo para acompanhar a tramitação da PL, você só vai sofrer que nem os auditores e analistas da Receita, a diferença é que o auditores e analista já estão lá, já passaram.

Até você ser conquistar a sua aprovação e nomeação esse projeto já deve ter sido aprovado ou substituído.

você tem que usar seu tempo para estudar e se preparar para o concurso.

Nessa fase de preparação para o concurso, você não tem nenhum poder sobre esse tema.

A gente traz esse assunto para você ter uma noção geral, só não gaste o seu tempo nos detalhes e em acompanhamento de notícias disso.

Salários – Analistas.

Em 2018, remuneração inicial de Analista segundo o projeto de lei será de R$ 11.181,24, além de bônus.

Acompanhe no quadro abaixo:

Salário Analista Receita Federal

Disciplinas.

Levantamento realizado pelo Arthur, explicações do Thomas:

Auditor Fiscal - Evolução das Disciplinas

Disciplinas que sempre vão estar presentes em editais.

Português, Inglês, Espanhol não há muita surpresa, são disciplinas básicas.

Matemática Financeira e Estatística, atualmente está dentro do Raciocínio Lógico-Quantitativo.

Que possui matemárica básica, matemática financeira, estatística básica e estatística diferencial e além de raciocínio lógico propriamente dito.

Direito Constitucional, Direito Administrativo e Direito Tributário, Contabilidade Geral e Comércio Internacional, essas sempre estão presentes.

Direito Previdenciário presente como disciplina separada em editais anteriores, desde 2012 está dentro de Direito Tributário. A ESAF resolveu colocar tudo numa prova só.

Ao analisar o edital é necessário averiguar o conteúdo programático detalhado e não somente os nomes das disciplinas.

Disciplinas que sofreram alterações em editais anteriores.

Observe que do edital de 2012 para 2014 o conteúdo programático ficou mais enxuto, Direito Civil, Penal e Comercial saiu e muitos perguntam: Será que vai voltar?

A prova discursiva também ficou mais enxuta e no mesmo dia da prova objetiva, isso na opinião do Thomas em razão do edital de 2014 ter sido feito “às pressas” para atender o prazo de nomeação.

Thomas acredita que haverá um retorno aos moldes de prova do edital de 2012.

Observações do Ricardo Vale sobre a matéria de Informática que em 2005 foi um “pavor” para muita gente. Ele acredita que essa matéria não tem muita chance de retornar.

 No entanto, uma matéria que vem sendo cobrada em editais da área fiscal é Tecnologia da Informação.

Opinião do Ricardo Machado: T.I. começa a ter força para ser cobrado em editais da Receita Federal.

Essas variações são decorrentes de como a Receita Federal encomenda a prova para à ESAF, haja vista o edital de 2014 que foi “simplificado” em relação ao de 2012 por pressões do prazo de nomeação já citado.

Já para um edital com mais tempo lá para final de 2017, início de 2018, há sim chance de que T.I. apareça no edital mesmo com um peso menor na pontuação final.

É de se esperar que próximo edital seja diferente do anterior e recomenda-se que você deve se preparar também para lidar com mudanças como essas.

Você deve sim é utilizar o edital anterior para estudar e garantir o que já é historicamente conhecido e estar atento às novidades quando o novo edital sair.

Adquira a Sua Planilha de Estudo Auditor Fiscal – EDITAL 2014, por Apenas R$9,70. Acesse Aqui!

Como lidar com as mudanças do próximo edital

Crie uma boa base estudando antecipadamente as matérias que são recorrentes e quando sair o edital você terá melhores condições para analisar e decidir a melhor estratégia para lidar com o que vir de novo.

Por exemplo, para se garantir com uma nota mínima por disciplina, vamos supor que ao sair o edital você se depare com uma disciplina “nova” composta de três matérias diferentes.

Então uma opção para o seu planejamento é estudar bem a primeira matéria, estudar minimamente a segunda e estudar menos a terceira matéria.

Isso é só um exemplo de como administrar esse tipo de situação em pós-edital (Mário Machado).

Sabendo-se que sempre há a possibilidade de surgirem novas matérias num próximo edital,  a estratégia a ser adotada é estar apto ao edital anterior.

Já está dominando o edital anterior, aí é hora de ficar atento a outras matérias candidatas ao próximo edital.

Quando se estuda para a Receita você deve trabalhar com a certeza de que vai ter coisa nova no próximo edital, primeiro se garanta com domínio sobre o que já foi cobrado anteriormente.

Comece a estudar antes para ter folga para acomodar as novidades entre o período de publicação do edital e a prova.

Outra disciplina que tem sido cobrado em concursos fiscais: Economia e Finanças Públicas.

Finanças Públicas foi cobrado dentro de Adminstração Geral e Pública,. Economia saiu mesmo.

Legislação tributária e legislação aduaneira (esta última a mais importante) são matérias que devem permanecer nos próximos editais.

Como acabaram com o curso de formação que existia para os nomeados, há uma tendência de se cobra legislação aduaneira nas provas.

O que estudar para o próximo concurso de Auditor Fiscal.

Observe o quadro:

Auditor Fiscal - Estudar Proximo Concurso

No quadro acima, destaque para a possibilidade de Raciocínio Lógico-Quantitativo vir com 20 questões e peso 2 no próximo concurso, conforme opinião pelos professores presentes nesta aula.

A mensagem é: Domine o edital de 2014 para ter folga para lidar com as novidades quando o novo edital sair!

A disciplina carrasca da vez

Historicamente, a ESAF seleciona uma disciplina para ser “carrasca” na prova, a exemplo de 2014 com Direito Tributário que exigiu, por exemplo:

  • Legislação tributária das contribuições (CSLL).
  • Instrução normativa de competência da Superintendência da Receita Federal para falar sobre suspensão de IPI (essa foi até anulada).

A dica é que ao se deparar com uma prova atípica assim é: Mantenha a calma! Lembre-se que os demais candidatos estão na mesma situação.

Então mantenha a calma e sabendo que as questões da ESAF são muito longas, analise qual das assertivas você conhece e é por aí que você vai vencer a prova.

Um erro de muita gente é abandonar uma questão ou mesmo a prova diante dessas situações e é nessa situação que você pode se diferenciar da maioria.

Em 2012 Auditoria foi a disciplina carrasca da prova, disciplina normalmente tranquila em provas de concursos.

Embora essa tendência seja recorrente na ESAF não significa que você deva sair estudando desesperadamente matérias que foram atípicas.

Como ocorreu com “parecer da AGU”, direito administrativo 2014, jurisprudência TCU”, entre outras.

É certo que a ESAF vai pegar pesado com alguma matéria na próxima prova e não há como se preparar para tudo.

A melhor forma de lidar com isso é realizar uma preparação séria, criar uma boa base de estudo.

Depois avançar para as fases de aprofundamento, intermediária e avançada, considerando a mediana das questões e acima disso.

Porque quando na prova você estiver diante de uma questão atípica, a sua preparação bem realizada vai lhe dar melhores condições até de chutar melhor em situações como essas!

Então acredite, se afundar em estudar matérias dessa natureza atípica, você só vai perder tempo diante do que realmente necessita de foco.

Situação semelhante temos em Raciocínio Lógico.

Num edital a parte de Matemática cobra praticamente toda a matéria do Ensino Médio.

Se você for se dedicar a estudar todo esse conteúdo programático, não vai sobrar tempo hábil para estudar outras disciplinas.

Por exemplo, em 2014, caiu uma questão de “matriz antissimétrica”.

Quase ninguém tinha estudado isso e não significa que você vai precisar agora estudar tudo sobre matriz antissimétrica por causa disso!

Então não entre nessa paranoia de que “eu preciso me garantir em todos os possíveis e inimagináveis que a ESAF vai cobrar”. Isso não funciona!

Questões “Fáceis”, Médias e Difíceis da ESAF.

Ao fazer uma análise fria das provas 2009, 2012 e 2014:

Quantas questões “fáceis” ou de nível médio para candidatos bem preparados haviam nessas provas?

Certamente um número de questões suficiente para você garantir o mínimos necessários.

Então cuide da sua preparação, estude aqueles conteúdos mais tradicionais que a ESAF costuma cobrar, há chances de você fazer os mínimos e ainda mais!

Outra questão é que sempre haverá uma ponderação entre questões fáceis, médias e difíceis, sendo que na ESAF há um mínimo de acerto por disciplina de 40%.

Uma estratégia que funciona bem para quem está bem preparado:

A ESAF costuma dividir as respostas de forma homogênea entre as alternativas A, C, D e E, por exemplo, uma matérias com 20 questões poderemos ter 5A, 5B, 5C, 5D, isso na média é só um exemplo.

Pode haver outras combinações naturalmente, vamos supor que você respondeu bem 15 questões e sobram 5 das quais você não faz a mínima ideia. O que fazer?

Isso somente funciona para quem esteja muito bem na matéria e esteja diante de uma prova muito difícil, então você pode usar a estratégia de contar quantas alternativas (letras) já foram “utilizadas”.

Para cada uma das 5 questões que sobraram (do exemplo citado) você primeiro procura eliminar aquelas alternativas que você considera impossíveis de serem certas.

Depois disso, usa o critério de incidência de médias de alternativas por letras para responder (chutar mesmo) a resposta.

Novamente, essa estratégia funciona se você tiver bom domínio geral sobre a matéria em questão.

Chute? Sim!

A prática do chute é recorrente mesmo entre aprovados da Receita Federal e é necessário esclarecer que esse fundamento somente funciona se você se preparou bem.

Porque você precisa ter convicção sobre as questões que já respondeu para usar algum critério de chute para demais questões difíceis (“impossíveis”) de responder.

Distribuição das questões na prova.

Observe o quadro:

Auditor Fiscal - Distribuição das questões na prova

Sobre Raciocínio Lógico-Quantitativo.

A prova de 2014 foi condensada pelos motivos já explicados, quando se tem prova discursiva e objetiva no mesmo há uma quantidade menor de questões objetivas.

Assim tivemos em 2014 somente 10 questões de raciocínio lógico, no entanto, trata-se de uma matéria muito importante que em provas anteriores tivemos 20 questões (2009 e 2012).

Há de se esperar que no próximo concurso volte a ter 20 questões, além disso é uma matéria que muita gente pena ao estudar e se preparar. Se for o seu caso, é melhor se dedicar desde o início.

E ainda, caso a prova traga raciocínio lógico com 20 questões e peso 2, então não dá para pensar em fazer o mínimo.

Sobre Direito Previdenciário.

Foram 10 questões em 2009, em 2012 foi incorporada a disciplina de Direito Tributário.

Observe que em 2012 Direito Tributário passou a ter 30 questões, sendo 25 de tributário e 5 de previdenciário.

Evolução das Provas Discursivas.

As provas discursivas passaram por diversas modificações.

Auditor Fiscal - Prova Discursiva

Em 2009 foram cobrados um tema e duas questões por período com 6 matérias, em 2012 redução para um período e em 2014 uma prova condensada.

Isso pode nos levar erroneamente a acreditar que a prova discursiva perdeu importância.

O fato é que ela veio para ficar e mais, ela pode mudar todo o cenário de classificação do candidato.

Um candidato pode chegar em “top 10” nas provas objetiva e tomar um ferro nas discursivas.

Resumo.

Podemos concluir com três importantes estratégias sobre o que estudar e como se preparar para o próximo concurso de Auditor Fiscal da Receita Federal, com base no conteúdo desta aula (transcrição e vídeo):

  1. Começar a estudar já para antecipar a sua preparação e ganhar tempo antes do próximo edital.
  2. Dominar as disciplinas básicas que historicamente caem nas provas da ESAF com base no edital de 2014.
  3. Após a publicação do edital analisar mudanças e novas disciplinas para adequar a preparação até a data da prova da ESAF.

Adquira Já a Sua Planilha de Estudo Auditor Fiscal – EDITAL 2014, por Apenas R$9,70. Saiba Mais!

Então, Muito Sucesso!

Agradeço por Seus Comentários e Compartilhamentos!

Abraços,

Gerson Medeiros

Summary
Review Date
Reviewed Item
O que Estudar para o Próximo Concurso da Receita
Author Rating
51star1star1star1star1star